VENEZA UMA CIDADE BELA E FRÁGIL - ( a informação mais recente)


Veneza, a capital da região do Vêneto no norte da Itália, é formada por mais de cem pequenas ilhas em uma lagoa no mar Adriático. A cidade não tem estrada ou ruas, apenais canais como, A Via Grand Canal, repletas de palácios góticos e renascentistas. Na praça central Piazza San Marco, ficam a Basílica de São Marcos, coberta de mosaicos bizantinos e o campanário, com vista para os telhados vermelhos da cidade. Uma parte da cidade está como Patrimônio Mundial da Humanidade, juntamente com sua lagoa. Foi fundada em 421 A.C. Acredita-se que, tenha surgido por volta do século V A.C., a partir de um conjunto de habitações pertencentes aos colonos que se refugiavam, ali, das invasões bárbaras. Por se localizar estrategicamente, pelas ilhas permitindo um ambiente mais protegido, tanto por terra , quanto por mar. Os habitantes enfrentavam falta de materiais resistentes e a dificuldade de construir estruturas fortes, naquelas condições. E assim mesmo a construíram essa maravilhosa cidade sobre as águas.

Com um formato de peixe vista do alto, é cortada por mais de cem canais. Veneza tem a maior rede de calçadas do mundo.


Com os anos de transformações industriais e o crescimento, deixaram delicada, a relação entre a cidade e a laguna de Veneza. Em 1900 a cidade desceu cerca de vinte e três centímetros em relação ao mar.

Com crescimento e a abertura de novos canais em 1966 a maré atingiu o nível recorde de 1.94 metros , forçando muitos habitantes a deixarem o centro histórico de Veneza e ir em direção à cidade de Mestre. Mas, até hoje, nada foi feito para tentar barrar esse avanço das aguas. A cidade já tinha seus problemas estruturais, sociais e habitacionais. Ela está desaparecendo junto com seus habitantes. E segundo a revista Comunità Italiana, no último dia 11/07/2021 o prefeito da cidade Luigi Brugnaro informou que, faz parte dos planos da prefeitura, implantar um sistema de catracas, como aquelas de mercado, controlados por um aplicativo, conforme a disponibilidade no momento, para colocar um freio no turismo de massa. Os habitantes terão as senhas das catracas permanentemente, enquanto os turistas terão a senha durante o período de hospedagem. Assim, controlando o acesso de pessoas na cidade onde a beleza é proporcional a sua fragilidade.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo